8 Doenças Reumáticas que Comprometem sua Saúde - Dieta do Ovo

8 Doenças Reumáticas que Comprometem sua Saúde

Existem diversas patologias que podem afetar as estruturas do corpo, causando dor e dificuldade nos movimentos.

As doenças reumáticas são um grupo de problemas que acometem estruturas como músculos, ossos e articulações. 

Dessa forma, esse termo é uma descrição genérica de uma vasta variedade de enfermidades. Dizer que “está com reumatismo” é afirmar que possui alguma das mais de 100 mazelas que estão incluídas nessa definição. 

Como você já percebeu, a osteoporose é uma delas. Contudo, existem mais algumas doenças reumáticas proeminentes e é importante saber um pouco melhor quais são elas para, assim, procurar ajuda com mais facilidade. 

A seguir, você poderá conhecer alguns exemplos e, dessa maneira, facilitar a prevenção e a busca por diagnóstico. 

Quais são as Doenças Reumáticas que Comprometem sua Saúde?

  • Osteoporose
  • Fibromialgia
  • Lombalgia
  • Artrose
  • Bursite
  • Gota
  • Tendinite
  • Lúpus

Osteoporose

Não é difícil ouvir falar sobre a osteoporose. Mas, afinal, você sabe o que é essa doença? Um dos principais pontos a respeito desse problema é que ele gera fragilidade dos ossos e, com isso, podem ocorrer malefícios em todo o organismo.

A osteoporose é uma doença silenciosa, não tem sintomas e não dói. Uma de suas consequências é a fratura vertebral sem trauma, espontânea, silenciosa, que encurta a coluna do paciente, levando-a a ficar com menos altura.

Outra consequência são as fraturas de colo de fêmur, levando a pessoa à cama e, por este motivo (o repouso, não a fratura), acabando por aumentar o índice de mortalidade.

Quais são os Sintomas da Osteoporose?

Dentre os sintomas envolvidos no desencadeamento da doença estão fraturas na coluna, fêmur e punhos, por exemplo.

Além disso, outros sinais podem indicar que a osteoporose está avançada no organismo, como dores na região lombar e pescoço (por conta de possíveis fraturas), sensibilidade e dor nos ossos e uma perceptível diminuição de estatura.

Como diagnosticar a Osteoporose?

O diagnóstico hoje é feito com um exame chamado densitometria óssea, que toda mulher com idade acima de 65 anos deve fazer.

Em mulheres com menopausa precoce, história de osteoporose na família ou que cogitam usar a terapia hormonal para a menopausa, esse exame também deve ser realizado antes dessa idade.

Fibromialgia

Ela pode ser caracterizada como uma condição generalizada, crônica e dolorosa, ou seja, é uma dor capaz de atingir várias regiões do corpo, principalmente os tendões e as articulações.

A ciência costuma dizer que a fibromialgia é uma síndrome com origem ainda desconhecida, mas essa tentativa de nominação explica muito pouco.

Dessa forma, é possível analisar a etimologia da palavra, sendo que algia ‘significa dor’, enquanto ‘fibro’ (no prefixo) refere – se às fibras musculares. Assim, genericamente, costuma-se dizer que são dores nas fibras musculares.

Resumindo, é correto dizer que essa doença causa dores musculares, que podem ser causadas por uma série de motivos.

A dores persistentes em músculos, articulações, ligamentos e tendões, gerando a sensação de peso, fisgada, aperto e queimação, também estão entre os principais sinais. 

O desconforto tende a piorar em dias frios, no período pré-menstrual e durante situações de estresse. A doença pode, ainda, provocar distúrbios cognitivos, como depressão e ansiedade. 

Um dos principais problemas da fibromialgia é seu diagnóstico, que exige muito diálogo e exames completos, o que leva tempo. Dificilmente a doença é diagnosticada logo na primeira consulta com o reumatologista. 

Isso porque, diferentemente de outros problemas reumatológicos, a dor não se restringe às articulações. O Consenso Brasileiro de Fibromialgia estabelece que, para o caso ser considerado fibromialgia, o paciente deve apresentar dor generalizada por mais de três meses e sensibilidade entre 11 e 18 pontos pressionados durante a consulta. 

Até o momento, não existem tratamentos considerados muito eficazes. 

Médicos podem prescrever relaxantes musculares e analgésicos, mas só medicamentos não bastam. É preciso uma abordagem multidisciplinar, mudar o estilo de vida, a começar pelo cigarro. 

Pesquisas apontam que fumar piora os sintomas. Já a atividade física é vista corno aliada.

Quais os sintomas da fibromialgia?

Além dos incômodos nos músculos, a fibromialgia gera cansaço do paciente, falta de energia, mudanças nos ciclos do sono, dores de cabeça e alterações emocionais e psicológicas.

Como diagnosticar a fibromialgia?

Ainda não existe exames laboratoriais que contribuam para a realização do diagnóstico. Dessa forma é necessário que o médico responsável pelo paciente consiga identificar os pontos de dor para, assim, chegar a uma conclusão mais precisa.

Ou seja, o diagnóstico ainda é difícil e demorado, sendo preciso fazer uma avaliação clínica, isto é, analisando a vida e costumes da pessoa.

Lombalgia

Você já sentiu um incômodo na região mais baixa da coluna, próximo à bacia? Se sim, saiba que é bem possível que tenha sido vítima da lombalgia.

É ela o motivo de maior queixa nos consultórios, a que mais afasta trabalhadores de suas funções.

É possível que, em alguns casos, a dor na lombar se espalhe para outras partes do corpo, como as pernas – com ou sem dormência.

Quais os sintomas da lombalgia?

A lombalgia não é uma doença grave, mas gera desconforto ao andar, sentar, fazer exercícios ou após muitas horas em pé.

Como diagnosticar a lombalgia?

Uma conversa com o ortopedista basta para diagnosticar o problema, porém uma radiografia deve ser requerida para a confirmação da análise.

A recuperação da coluna, mais especificamente da região acometida pela hérnia, depende de alguns fatores clínicos.

Porém, de forma geral, o tratamento é conservador. Se não houver déficit neurológico ou uma dor incapacitante, o tratamento é clínico e com fisioterapia.

Artrose 

Na artrose, as cartilagens (revestimento responsável por evitar o desgaste dos osso) se desgastam, fazendo com que os ossos sofrem pressão e se deterioram, assim como a própria cartilagem. 

Dessa forma, as dores que algumas pessoas sentem podem ser originadas nos ossos, nas estruturas que têm nervos ou ser resultado de problemas no conjunto desses tecidos. 

Artrose é uma doença crônica chamada mais comumente degenerativa, que acomete as cartilagens das articulações.

Ela ocorre a partir da meia idade e se caracteriza pelo engrossamento das articulações dos dedos e da sensação de areia em grandes articulações (como os joelhos), o que chamamos de crepitação. 

O problema leva a uma rigidez dessas porções, que piora quando ficamos parados e melhora durante os movimentos – os pacientes se referem à melhora quando o corpo esquenta. 

Essa enfermidade é caracterizada por desgastar a cartilagem que reveste os ossos – para que não ocorra atrito entre eles. 

A artrose é a doença articular mais frequente e sua prevalência aumenta conforme o envelhecimento. Algumas formas de artrose (como a artrose nas mãos) têm um componente genético de predisposição. 

Já a artrose nos joelhos está muito relacionada à obesidade e ao sedentarismo. Algumas pessoas praticamente não apresentam sintomas do problema, no entanto, quando se manifestam, geralmente a dor é o principal sinal. 

Os especialistas não costumam afirmar que é possível evitar o desenvolvimento do problema em qualquer momento da vida. Porém, estar atento aos fatores de risco (idade, lesões, obesidade, entre outros) pode adiar o surgimento da artrose. 

E, caso a doença já tenha sido diagnosticada, é essencial fazer um acompanhamento com um especialista, a fim de prevenir o agravamento do quadro. 

O problema está diretamente ligado ao funcionamento anormal do sistema nervoso, que reflete em diversas dores pelo corpo. É uma síndrome caracterizada por uma dor difusa associada com outros sintomas frequentes como distúrbios do sono e do humor, dor de cabeça, dificuldade de concentração, entre outros.

Bursite 

Ocorre devido à inflamação de uma bursa — pequena estrutura em forma de uma bolsa (ou saco) cheia de líquido sinovial, que serve como “almofada” ou “amortecedor” para determinadas áreas, como tendões e proeminências ósseas. 

Ela atua evitando o contato direto com essas estruturas, que poderiam ser lesadas pelo atrito constante. 

Os principais sintomas são dor na articulação, dificuldade para realizar movimentos e, eventualmente, sinais de inflamação, como aumento de volume, calor e rubor no local. 

As causas podem ser traumatismo direto, esforço repetido, excesso de peso e envelhecimento com desidratação da bursa. Os locais mais frequentemente acometidos são ombros, joelhos, quadril e cotovelos. 

Outras doenças reumáticas

O que é Gota?

A gota é uma doença inflamatória aguda caracterizada pelo acometimento, mais frequentemente, da articulação do primeiro dedo dos pés. Há presença de dor, calor, rubor e edema que ocorre devido ao depósito de cristais de ácido úrico na articulação. 

Quando os níveis desse ácido se encontram elevados no organismo, a gota aparece. Essa situação pode acontecer por dois motivos: caso o corpo produza o componente em excesso ou se apresentar dificuldade de eliminar a quantidade produzida. 

Apesar dessa explicação, a causa específica da gota ainda é desconhecida. Contudo, existem alguns fatores de risco, tais como:

  • gênero, pois a gota é mais comum nos homens
  • histórico familiar, pois a doença pode ser genética
  • hipertensão, diabetes e colesterol alto
  • ingestão excessiva de álcool
  • uso de alguns medicamentos diuréticos

feitas com técnicas inadequadas e doenças reumáticas que cursam com inflamação de músculos, tendões e articulações. 

O que é Tendinite?

A tendinite é a inflamação de um tendão, que são estruturas fibrosas como uma corda, que unem o músculo ao osso. Ocorre dor e aumento de volume do tendão e pode atingir qualquer parte do corpo – os locais mais frequentes são ombros, cotovelos, joelhos, tornozelos e pés.

O tendão é mais fraco que o osso e menos elástico do que o músculo, portanto, em qualquer condição de atrito, sobrecarga ou superuso (movimentos repetidos) é a estrutura que geralmente mais sofre. 

Suas causas costumam estar relacionadas a fatores de risco como falta de alongamento muscular, postura inadequada, movimentos repetitivos (como no uso de computadores, tablets e celulares), idade do osculares e paciente, estresse, contraturas e fadiga, atividades esportivas em excesso e/ou feitas com técnicas inadequadas e doenças reumáticas que cursam com inflamação de músculos, tendões e articulações.

O que é Lúpus?

O lúpus é uma doença autoimune que tipicamente afeta mulheres jovens. A doença pode afetar, literalmente, qualquer órgão e sua causa é desconhecida, não existindo medidas preventivas eficientes. Contudo, existem tratamentos muito eficientes para controlar a doença e evitar consequências maiores.

dietaedietas.com.br

Deixe um comentário